lazer

Dublin, Ireland

13.9.13

Esse post tá um tanto atrasado já... Fui pra Irlanda mais de um mês atrás! Faltou tempo pra escrever sobre essa fofura de país, mas não ia deixar de postar sobre.

Fui pra Dublin só passar o fim de semana, mas como a capital irlandesa é uma "pequena cidade grande", foi tranquilo conhecer tudo e ainda fazer passeio pra outro lugar. No primeiro dia chegamos de manhã e já deu pra ver um monte de coisa: a O'Connel Street com sua Spire (basicamente uma agulha gigante no meio da avenida), Trinity College, St. Patrick's Cathedral, Dublin Castle e Temple Bar.
Trinity College
Fleet Street, Temple Bar

Temple Bar é uma área no centro de Dublin que preservou as ruelas medievais e é lotado de pubs e restaurantes. Já o Temple Bar Pub existe desde 1840 e é super caro, mas vale a pena a visita. Toca-se música irlandesa tradicional lá todos os dias, e quando fomos tinha um trio super legal no palco. O pub já ganhou vários prêmios por conta dessas apresentações diárias. 


No dia seguinte acordamos antes das 7 da manhã para o tour até os famosos Cliffs of Moher. O ônibus saiu de Dublin e partiu pro outro lado da Irlanda - se olhar no mapa parece quase uma linha reta da costa leste (Dubin) até a oeste (Cliffs) -, o que rendeu umas horinhas de cochilo. Chegando em Galway, onde tínhamos que trocar para outro ônibus e seguir o tour, estava muito gelado! Em Dublin estava usando calça jeans e jaqueta fina tranquilamente, mas lá venta horrores. Pelo menos não choveu, como parecia que ia acontecer.

Antes de ir para os Cliffs, paramos na fazenda de uma típica família irlandesa e comecei a ter a impressão que a Irlanda não é de verdade. Tudo lá é muito fofo, folclórico, acolhedor! Parece uma historinha de criança. Os guias do passeio na fazenda eram dois primos super simpáticos (como praticamente todos os irlandeses), que contaram um pouco da história da família e como funcionam as fazendas dali enquanto íamos subindo a montanha. No final, fomos recompensados por uma vista linda e o direito de fazer um desejo em uma árvore das fadas. Como eu já comentei, a Irlanda tem folclore muito rico e alguns ainda acreditam que amarrar algum pertence pessoal em certas árvores (as que são consideradas "porta de saída" do mundo das fadas pro nosso) realiza o desejo que fizer na hora.
Árvore das fadas
Janela da 'Casa da Vovó'
Descemos a montanha para um delicioso chá (mentira, eu não gosto de chá) com tortas caseiras na casa da avó dos primos, com mais fofuras pra gente. Um deles até cantou uma música em irlandês. Depois o ônibus nos pegou de novo e seguimos com o tour. Os Cliffs of Moher ficam em uma zona de conservação na costa leste da Irland e a vista é de tirar o fôlego, literalmente. Impossível não sentir um friozinho na barriga e segurar a respiração ao olhar para baixo perto da beira das falésias. O ponto mais alto atinge mais de 270 metros e você vê o oceano batendo furiosamente contra as paredes de pedra. 

A vista é muito linda, mesmo com o tempo nublado, como fica na maior parte do tempo. Dá pra ver a caverna onde filmaram Harry e Dumbledore pegando o medalhão em Harry Potter e o Enigma do Príncipe! Pena que o tempo foi pouco, o lugar é enorme e vale a pena andar ao longo das falésias - pra quem tem medo de altura recomendo ficar dentro da cerca, haha. 
AAAAAH HELP!
É muuuito alto!
A próxima parada foi um restaurantezinho para almoço antes de voltar para Galway e esperar o outro ônibus de volta para Dublin. Chegamos no hostel às 22h mortas de cansaço. No dia seguinte passeamos pelo St. Stephen's Green Park, Grafton Street, vimos a casa do Oscar Wilde, almoçamos pela segunda vez num restaurante brasileiro (fomos lá no primeiro dia). Btw, quanto brasileiro tem naquele lugar! Tanto que rola até balada sertaneja em Dublin (pra que trazer coisa boa, né). E por fim: compramos souvenirs! Muitos. Sério, as coisas eram tão lindas ou divertidas que minha vontade era levar a Carroll's inteira de lembrança na mala.

Amei a Irlanda, o povo é muito simpático (e adora beber), as cidades e vilas são fofas e a música e folclore, riquíssimos. Como a população é pequena - 4.58 milhões de pessoas na República da Irlanda -, a imigração é relativamente fácil. Provavelmente é por isso que tantos brasileiros vão pra lá como porta de entrada pra Europa. Até pensei que se for muito difícil voltar pra ficar mais tempo em Londres um dia talvez vá para Dublin, que é tão pertinho (:

You Might Also Like

0 comentários

FOTOS