ciência sem fronteiras

Science Without Borders

27.11.12

Novo intercâmbio, novo layout! Desta vez uma coisa mais clean e moderninha ;)
______________________________________________________________________

Este é um post bem resumido mesmo, um panorama básico de como foi o processo do programa. Algumas etapas foram tão parecidas com enredo de novela que serão desenvolvidas mais pra frente! rs

O Ciência sem Fronteiras é um programa do governo brasileiro que tem muita visibilidade, justamente por ser algo sem precedentes no Brasil. O desafio do CsF é levar 101 mil estudantes para estudar no exterior até o final deste mandato da presidente Dilma Rousseff. Ele financia não só os estudos em outro país, mas também a moradia dos estudantes, passagens aéreas e despesas em geral (comida e afins).

Vou falar apenas sobre a experiência que eu tive neste edital, até porque é o que consigo falar com propriedade. Os editais foram lançados nos últimos dias de julho, as inscrições abriram em agosto e acabaram em 14 de setembro. Dentro deste prazo tínhamos que nos inscrever no site e enviar por ele um comprovante de histórico escolar e nota de teste de proficiência (no caso do Reino Unido era
O processo todo foi marcado por muita, MUITA espera
necessário o mínimo de 79 no TOEFL). Era opcional mandar premiações acadêmicas e nota do Enem (que deveria ser pós 2009), então como eu não tinha não enviei. Depois disso aguardei a homologação na minha Instituição de Ensino Superior (IES), no caso a Universiade de Brasília (IES). Foi bem tranquilo, eles homologaram todos os alunos regulares que estavam dentro das áreas prioritárias e tinham Índice de Rendimento Acadêmico (IRA) acima de 3,5.

A partir daqui, no caso do Reino Unido o edital foi todo diferente e "ao contrário". Enquanto o pessoal de outros países esperou receber o ok da Capes/CNPq para se inscrever no site da sua respectiva instituição internacional parceira, nós fizemos isso simultaneamente à inscrição com o CNPq. Então mais ou menos na terceira semana de setembro podíamos começar a entrar no site do UCAS (parte da Universities UK, instituição parceira) e nos cadastrar. Ne site eu preenchi:

• Dados pessoais;
• Informaçõs acadêmicas e profissionais;
• Preferência de Universidades (você pode escolher até 3 na sua ordem de preferência - mas nada garante que uma das três vá te escolher!);
Personal Statement - um texto onde você deve ressaltar por que quer estudar no Reino Unido, por que aquele curso, se já teve contato com este curso, etc. e sempre destacar por que eles devem te escolher;

Feito isso e enviada a inscrição, tivemos até 2 de outubro para enviar para o UUK um histórico traduzido e o resultado original do teste de proficiência escaneado. Isso aí foi um drama à parte, mais pra frente comento. Depois começou a longuíssima espera, já que o resultado final só sairia dali a mais de um mês, no dia 19 de novembro. Acabou saindo só no dia 23, mas também é assunto pra outro dia. Dá pra ver meu nome e universidade de destino aqui!

You Might Also Like

0 comentários

FOTOS