brasil

I ❤ London

19.1.14

Hoje foi meu último dia em Londres e, enquanto estou muito muito triste de ir embora desse lugar que virou meu lar, também fico muito grata que pude viver esse ano perfeito aqui.

Londres me despertava curiosidade há muito tempo. Desde assistir 101 Dálmatas, Peter Pan, Mary Poppins e achar os lugares super charmosos até, é claro, desejar conhecer King's Cross e afins por causa de Harry Potter. Por muito tempo essa foi uma cidade que eu queria visitar, mas era tão distante, impossível… Quando começou a febre da internet eu ficava procurando fotos, vídeos, filmes em Londres. Na adolescência eu não tinha vontade de fazer intercâmbio em high school americano, queria estudar em uma escola inglesa com uniformes fofos.

Eu já tinha essa cidade em alta conta antes de conhecer, mas agora posso dizer com propriedade que Londres é o meu lugar, a minha cara, o meu número. E como esse ano eu também tive oportunidade de alimentar muito minha paixão por viagens, isso quer dizer bastante coisa, porque posso comparar com outras grandes cidades que conheci. Paris, Berlim, Nova York, Roma, sinto muito, mas vocês não chegam aos pés de Londres (e olha que eu amei todas essas cidades)! Me vejo visitando todos esses lugares várias vezes, mas pra mim a capital inglesa é pra morar – e também passear, turistar, amar.


Vou sentir a maior saudade de ir comer no Borough Market e dar um pulinho na Tower Bridge, pra depois ir andando até Westminster passando pelo Shakespeare's Globe, Tate Modern, Millenium Bridge, chegar em South Bank e ver as coisas legais que estão rolando por lá e admirar o London Eye antes de atravessar a ponte e dar um oi pro Big Ben e ver a Westminster Abbey. Dos sábados no Portobello Road Market, domingos em Camden Town ou Brick Lane, dos pubs e festas que tocam música boa (aqui não existe 'quintaneja', ainda bem). Da facilidade de ir ali na Oxford Street ou no shopping Westfield comprar roupas lindas e baratinhas. Dos parques em dias de sol e museus em dias de chuva. Dos milhares de shows legais. De curtir o movimento da Trafalgar e da Leicester Square e as luzes de Piccadilly Circus. Da conveniência de morar no mesmíssimo lugar dos meus amigos. 



A Martha Medeiros escreveu em Um Lugar na Janela que "a nacionalidade de uma pessoa não deveria ser estabelecida por sua cidade de nascimento, e sim pelos locais pelos quais a pessoa se sente atraída". Bom, então eu devo ser um pouco brasileira, um pouco londrina (Londres praticamente tem uma nacionalidade própria, haha) e um pouco do mundo. O que eu gosto no Brasil é o jeito como as pessoas são mais amigas, próximas, calorosas. Mas tirando isso (e a culinária!), a baixa qualidade de vida desanima. Posso trazer todo mundo que eu amo pra morar comigo em Londres, por favor?


Obrigada, Londres, por ser um ótimo lugar para se viver. E espero que me receba tão bem no futuro quanto em 2013, porque eu com certeza darei um jeito de voltar. E obrigada, Dilmãe, pela oportunidade que eu nunca teria se não fosse com uma bolsa integral!

You Might Also Like

0 comentários

FOTOS