burocracia

Bureaucracy Part II

10.10.11

A parte da papelada ainda não acabou! O que ainda tivemos que fazer:

Imprimir o Participant Agreement, assiná-lo e enviá-lo escaneado para a AAG. O Participant Agreement continha nossas work positions. No meu caso, eu fiquei com Merchandise or Food Cart Attendant (que não era nenhuma das 3 primeiras opções que eu pus no papel no dia da palestra, mas tudo bem!). Nessa position a pessoa trabalha vendendo comidas, bebidas ou produtos do parque em um "carrinho".

Imprimir e assinar o contrato de prestação de serviços. Tínhamos que imprimir 2 vias do contrato de 8 páginas e rubricar em todas elas. Depois, ir reconhecer firma nas últimas páginas em algum cartório e enviar tudo para a Yep como carta registrada. Apesar da greve dos Correios eu consegui mandar, só me disseram que ia demorar mais que o normal pra chegar (e demorou bem mais!). 

Preencher o formulário DS-160 para obtenção do visto J-1 (visitante de intercâmbio). É aquele formulário da embaixada americana que tem milhões de perguntas bem detalhadas.

Fazer o Visa Travel Money (bom, isso no meu caso). O VTM é como um cartão pré-pago que pode ser usado como débito ou crédito no exterior. A vantagem dele é que, diferentemente do cartão de crédito, não tem perigo de comprar um produto com o dólar num certo valor e quando a fatura chegar ele ficar mais caro por causa de uma alta do dólar. Eu ia fazer o do Banco do Brasil mesmo, mas por conta da greve não quis ficar esperando e aí acabei pegando o da Confidence.
A vantagem da Confidence sobre outras casas de câmbio que têm VTM é que o dela vem com o nome do titular impresso no cartão. E isso é importante, porque muitos estabelecimentos exigem documento de identificação na hora do pagamento e, se não tiver seu nome, não tem como comprovar que o cartão é seu, né!

You Might Also Like

0 comentários

FOTOS